DEFESA PÚBLICA DE DISSERTAÇÃO DE THIAGO DA SILVA PEREDO

Data da Publicação: 08/12/2022

CONVITE DE DEFESA PÚBLICA DE DISSERTAÇÃO


Convidamos toda a comunidade acadêmica e demais interresados para a defesa de dissertação do mestrando THIAGO DA SILVA PEREDO do Programa de Pós-Graduação Mestrado Acadêmico em Letras da Universidade Federal de Rondônia (PPGML/UNIR).

 

DISCENTE: THIAGO DA SILVA PEREDO
DATA : 15/12/2022
HORA: 09:00
LOCAL: https://youtu.be/i999KURyisY

 

TÍTULO: RELAÇÕES SINTAGMÁTICAS EM NEONÍMIAS DO ORO NAO':ANÁLISE DO CAMPO SEMÂNTICO 'CASA'

RESUMO:Este é um estudo sobre a neologia e o comportamento de construções sintagmáticas nominais em Oro Nao', uma variante linguística Wari da família linguística Txapakura existente no norte do Brasil, no território de Guajará-Mirim (RO). A neologia é o estudo de novas construções morfológicas, semânticas e lexicais na língua em que são utilizadas, neste estudo, em formações frasais e nominais, no caso, em Oro Nao’ (Wari-Txapakura), o processo é analisado pela inserção lexical referente a objetos não indígenas no campo semântico “casa” que atualmente são comuns e em uso na comunidade. O estudo concentrou-se no campo semântico “casa” em Oro Nao’ para observar representações semânticas e lexicais. Sendo assim, referência-se em pesquisa de campo com dados coletados em construções nominais e avaliados de acordo com estudos baseados, especificamente, por Apontes (2015) descrição gramatical em Oro Waram - variante Wari e Sousa (2009) em dicionário da língua Wari’ - dialeto Oro Mon. É observado que há alguns processos em que formações semânticas e lexicais são usuais para representação de uma nova entidade, como (makon) que corresponde a ‘cipó’ na língua que dependendo da aplicação em seu uso, representa demasiadas funções (fio de energia elétrica e corda), há outros processos em função em que a construção nominal apresenta um elemento modificador (kayi) + núcleo (modificado), o fenômeno ocorre para nomear uma nova função a entidade que um elemento pertencente ao universo como [kayi +naram] (naram=luz) associa a uma nova entidade “vela”, por exemplo. Observa-se também que (ji) em uma construção interna posposto ao núcleo (modificado) infere modificação ao elemento central que passa a representar uma nova formação em um sintagma nominal, [panayi xirim’] (pana=árvore + CLF + casa) que corresponde a “caibro’. Queixalós e Gomes (2016) sugerem que há possibilidade de compreensão na ordem dos elementos descritos na sentença na maioria das línguas indígenas amazônicas. O elemento (mam) em início de sentença apresenta função de FINAL. que, anteposto a uma entidade + complemento, nominaliza ao passo que cria finalidade a entidade modificada, como em [mam kao to wa] (FINAL. + comer + estar) em que a função atribuída a entidade posposta possui a finalidade de “mesa”, por exemplo. As lexias apresentadas são existentes na língua Wari', observando que os morfemas classificadores são modificadores da palavra já existente no universo indígena, sendo assim a formação apresenta um signo novo com uma nova função na língua.

 

PALAVRAS-CHAVES: Relações sintagmáticas; Neonímia; Descrição; Oro Nao’; Línguas Indígenas.
PÁGINAS: 81

 

MEMBROS DA BANCA:
Professora Dra. Patrícia Goulart Tondineli, Presidente da Banca e Orientadora (UNIR)
Professor Dr. Selmo Azevedo Apontes, Membro Interno ao Programa (UFMG)
Professor Dr. Antônio Almir Silva Gomes, Membro Externo (UNIFAP)