DEFESA PÚBLICA DE DISSERTAÇÃO DE HELOÍSA HELENA RAMOS SANTOS

Data da Publicação: 09/12/2021

CONVITE DE DEFESA PÚBLICA DE DISSERTAÇÃO


PROGRAMA DE POS-GRADUACAO EM LETRAS

CONVITE DE DEFESA PÚBLICA DE DISSERTAÇÃO DE HELOÍSA HELENA RAMOS SANTOS 

 

Convidamos toda a comunidade acadêmica e demais interessados para a defesa de dissertação da mestranda HELOÍSA HELENA RAMOS SANTOS do Programa de Pós-Graduação Mestrado Acadêmico em Letras da Universidade Federal de Rondônia (PPGML/UNIR).

DISCENTE: HELOÍSA HELENA RAMOS SANTOS
DATA: 15/12/2021
HORA: 09:30
LOCAL: 

 

TÍTULO: Fenômenos fonológicos em redações de alunos do ensino médio da EJA em escolas públicas de Porto Velho (RO).

RESUMOO objetivo desta pesquisa foi analisar os fenômenos de (i) apagamento do rótico em coda silábica; (ii) epêntese e (iii) paragoge em textos de alunos da Educação de Jovens e Adultos do ensino médio (1º ano) de escolas públicas da cidade de Porto Velho (RO). Para tanto, partiu-se da hipótese de que os referidos fenômenos podem decorrer da interferência da oralidade desses indivíduos em suas produções textuais ou, ainda, a partir de hipóteses de escrita malsucedidas. Assim, buscando aporte teórico nos pressupostos sobre o letramento dentro do contexto da modalidade de ensino da EJA e as relações estabelecidas entre fonética, fonologia, escrita e ortografia, foram investigadas redações produzidas pelos sujeitos da pesquisa, em especial, quanto à presença dos fenômenos fonológicos destacados. No total, foram coletados 80 textos, dentre crônicas narrativas e relatos de experiência, de autoria de ambos os sexos. A escolha pelos fenômenos se deu devido a configurarem aqueles com maior incidência. Da análise dos resultados, verificou-se a incidência de: 111 casos de apagamento do rótico em verbos e 6 em não verbos, a partir do transporte das marcas de oralidade para a escrita bem como de características linguísticas e extralinguísticas; 10 casos de epêntese, que ratificam a questão das marcas da oralidade transportadas pelos alunos sujeitos da pesquisa para suas produções escritas, e de 14 casos de paragoge, que, apesar de, inicialmente, terem sido tratados sob o viés das marcas da oralidade, mostraram-se tratar de hipercorreção. Esperamos, com este trabalho, contribuir com a reflexão sobre a relação entre oralidade e escrita, mais especificamente, sobre a relação entre fonética, fonologia, ortografia e escrita, enfatizando a necessidade de que o ensino de língua portuguesa valorize as diversidades que se apresentam em sala de aula, principalmente quando se trata do ambiente da EJA.

Palavras-chave: Fenômenos fonológicos; EJA; Oralidade; Ortografia; Escrita.

PÁGINAS: 86
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Teoria e Análise Lingüística

MEMBROS DA BANCA:
Profa. Dra. Natália Cristine Prado - Presidente da Banca - professora orientadora (UNIR)
Profa. Dra.Vera Pacheco - Externo à Instituição (UESB)
Profa. Dra. Geane Valesca da Cunha Klein - Externo ao PPGML (UNIR)
Profa. Dra. Patrícia Goulart Tondineli - Interno ao PPGML (UNIR)