DEFESA PÚBLICA DE DISSERTAÇÃO DA IANA SAISSEM SILVA GONCALVES

Data da Publicação: 21/10/2021

CONVITE DE DEFESA PÚBLICA DE DISSERTAÇÃO


PROGRAMA DE POS-GRADUACAO EM LETRAS

CONVITE DE DEFESA PÚBLICA DE DISSERTAÇÃO DA  IANA SAISSEM SILVA GONCALVES

 

Convidamos toda a comunidade acadêmica e demais interessados para a defesa de dissertação da mestranda IANA SAISSEM SILVA GONCALVES do Programa de Pós-Graduação Mestrado Acadêmico em Letras da Universidade Federal de Rondônia (PPGML/UNIR).

 

DISCENTE: IANA SAISSEM SILVA GONCALVES

DATA: 16/11/2021

HORA: 09:00

LOCAL: https://www.youtube.com/watch?v=KW6O8_ELf-o

 

TÍTULO:

NARRATIVAS DO POVO MURA DO BAIXO RIO MADEIRA: UMA ANÁLISE PÓS-CRÍTICA DA ETNOGRAFIA DE SI

 

RESUMO:

As narrativas ancestrais de Povo Mura do Baixo Rio Madeira revelam suas tradições e costumes com a esperança de que suas memórias continuem vivas para gerações presentes e futuras. A presente dissertação tem como objetivo a analisar as narrativas numa perspectiva pós-crítica dos pressupostos teóricos da construção de uma etnografia de si. Neste contexto a pesquisadora participa da pesquisa como sujeito e protagonista das narrativas que revelam as memórias históricas da alma do lugar. Halbwachs, (2004) corrobora com as reflexões com fundamentações que partem do princípio dos estudos da memória individual e coletiva na perspectiva história crítica. Com as retomadas dos saberes dos mais velhos das comunidades, por meio da tradição e dos pressupostos da história oral, um grupo de ancestrais que passaram por um processo de (des)territorização, revelam suas memórias de cultura e identidade por meio das narrativas etnográficas produzidas pela pesquisadora. As comunidades estão situadas as margens de lagos e rios no Baixo e Médio Rio Madeira que vai de Borba/AM a Porto Velho/RO. Os relatos etnográficos dos narradores revelam um legado memorial das comunidades. Essas memorias estão presentes nas narrativas do homem que virou boto, a mulher que pediu alimento ao boto, o boto levantou minha canoa, nossas pescas, Ipanema, o boto que veio dançar forró em uma Quarta-Feira de Cinzas.

 

PALAVRAS-CHAVE: Narrativas Orais. Povo Mura. Amazônia.

 

PÁGINAS: 60

GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes

ÁREA: Letras 

SUBÁREA: Línguas Indígenas

 

MEMBROS DA BANCA

Prof. Dr. JOAO CARLOS GOMES - Orientador (UNIR)

Prof. QUESLER FAGUNDES CAMARGOS - Membro interno (UNIR)

Prof. Dr. ROSIVALDO GOMESA - Externo à instituição (UNIFAP)

Prof. Dr. PAULO EDUARDO BENITES DE MORAES - Externo ao Programa (UNIR)

Prof. Dr. JULIO CESAR BARRETO ROCHA - Membro interno (UNIR)