DEFESA PÚBLICA DE DISSERTAÇÃO DA ANGÉLICA PAIXÃO DOS SANTOS

Data da Publicação: 29/06/2021

CONVITE DE DEFESA PÚBLICA DE DISSERTAÇÃO


PROGRAMA DE POS-GRADUACAO EM LETRAS

CONVITE DE DEFESA PÚBLICA DE DISSERTAÇÃO DA ANGÉLICA PAIXÃO DOS SANTOS

 

Convidamos toda a comunidade acadêmica e demais interessados para a defesa de dissertação da mestranda ANGÉLICA PAIXÃO DOS SANTOS do Programa de Pós-Graduação Mestrado Acadêmico em Letras da Universidade Federal de Rondônia (PPGML/UNIR).

  

INFORMAÇÕES DO EVENTO
DISCENTE: ANGÉLICA PAIXÃO DOS SANTOS
DATA: 30/06/2021
HORA: 08:00
LOCAL: https://www.youtube.com/watch?v=Pel5FsNpZIQ

 

TÍTULO:

O processo de constituição da discursividade literária realista brasileira, em Machado de Assis, e a relação entre autor e língua nacional

RESUMO:
Este trabalho buscou compreender o processo de constituição da discursividade literária realista, em Machado de Assis, e a relação desse sujeito-autor com a língua nacional na segunda metade do século XIX. Para isso, filiamo-nos ao quadro teórico-metodológico da análise de discurso (AD) fundado por Michel Pêcheux na França na década de 1960 e desenvolvido no Brasil por Eni Orlandi, articulando-o à história da ideias linguísticas (HIL). A partir da análise de Ressurreição (1872), A mão e a luva (1874), Memórias póstumas de Brás Cubas (1881), Quincas Borba (1891), Esaú e Jacó (1904) e Memorial de Aires (1908), observarmos, por um lado, o funcionamento da memória (interdiscurso) por meio do processo de identificação/individuação por qual passa o sujeito-autor, produzindo, assim um efeito de real e, por outro lado, o institucional, com suas relações de força e de sentido resultando em projeções imaginárias que foram determinantes no processo de produção dessas textualidades, para que, assim, pudéssemos compreender como ocorreram os deslocamentos de sentidos no processo de constituição da discursividade literária realista. Sendo a língua a base comum para processos discursivos diferenciados, conforme Pêcheux (2014), buscamos, também, compreender a relação do sujeito, na posição-autor (literato), com a língua e como ele a trabalhou e contribuiu para a formulação de um certo modo da língua, imprimindo uma brasilidade para ela.

 

PALAVRAS-CHAVE: Machado de Assis. Processo discursivo. Discursividade literária realista. Língua.
PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Linguística, Letras e Artes
ÁREA: Linguística
SUBÁREA: Teoria e Análise Linguística

 

MEMBROS DA BANCA:

Prof. Dr. Élcio Aloisio Fragoso (UNIR- Orientador)

Profa. Dra. Ana Cláudia Fernandes Ferreira (UNICAMP- Coorientadora)

Profa. Dra. Lucas Martins Gama Khalil (UNIR – Membro Interno)

Profa. Dra. Taís da Silva Martins (UFSM – Membro Externo)

Profa. Juciele Pereira Dias (UFRJ – Membro Suplente)